Homenageamos hoje: Tim

Elba de Pádua Lima, mais conhecido como Tim (Rifaina, 20 de fevereiro de 1916 — Rio de Janeiro, 7 de julho de 1984), foi um treinador e futebolista brasileiro, que atuou como atacante.

Nascimento e infância
Tim nasceu em 20 de fevereiro de 1916, numa fazenda que pertencia ao município paulista de Rifaina. Ele era filho do ferroviário Vargas Lima, e de Tereza Granato.

Quando criança, sua família chamava-o carinhosamente de Ti.

Em 1923, aos sete anos, Elba perdeu o pai. A partir daí, passou a ser criado pela mãe na Vila Tibério, tradicional bairro de Ribeirão Preto, onde Ti descobriria o talento que tinha para jogar futebol.

O começo da carreira
Foi nas peladas pelas ruas de Ribeirão Preto, que Elba despertou seus dons futebolísticos. Foi nessa época também que o apelido de família, Ti, virou Tim.

Tim começou oficialmente sua carreira no Botafogo-SP em 1928, aos 12 anos.

A carreira profissional
Em 1931, já com 15 anos, Tim, após ganhar destaque nos infantis do Botafogo-SP, passou para a equipe profissional. No profissional do Pantera, com seu bom futebol, desbancou o maior craque do time até então, o atacante Piquetote, tornando-se, assim, ídolo da torcida botafoguense.

Em 1934, aos 18 anos, foi vendido para a Portuguesa Santista, pela quantia de 500 mil réis, onde sua carreira viria a deslanchar.

Com o bom futebol apresentado na Portuguesa Santista, Tim alcançou, em 1936, a Seleção Paulista, onde conquistou o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, vencendo o Rio Grande do Sul no Estádio São Januário do Rio de Janeiro 2×0 em 2/8/1936.

Em dezembro de 1936, chegou a Seleção Brasileira, participando do grupo que foi ao Campeonato Sul-Americano de 1937.

Quando retornou ao Brasil, após o Sul-Americano, decidiu ficar perto da família, e voltou a defender o Botafogo-SP. Mas ele ficaria pouco tempo no time ribeirão-pretano, por pouco mais de 4 meses.

Em abril de 1936, transferiu-se para o Fluminense, quando lhe foi ofertado 20 mil contos de réis, e mais um conto mensal. No Flu, viveria o auge de sua carreira.

Sua primeira glória no Tricolor Carioca, foi integrar o time tricampeão estadual em 1936, 1937 e 1938.

Tim disputou a Copa do Mundo FIFA de 1938, realizado na França. Após a Copa do Mundo, voltou ao Rio de Janeiro para ser bicampeão do Campeonato Carioca em 1940 e 1941. Ainda pelo Fluminense, fez 71 gols em 226 partidas.

Em 1942, foi disputar a Copa América pela Seleção Brasileira em Buenos Aires, e voltou com o prestígio redobrado, por suas grandes atuações, que levaram os argentinos a o apelidarem de “El Peón”, por “conduzir o time brasileiro como um peão (peón) conduz a sua manada”. Nessa competição, o Brasil terminou em 3º lugar.

Em 1944, aposentou-se da Seleção Brasileira, deixando sua vaga para Jair Rosa Pinto. No mesmo ano, transferiu-se para o São Paulo, onde jogaria até 1947, quando foi para o Botafogo.

Carreira de técnico-jogador
Ainda em 1947, foi jogar e treinar, ao mesmo tempo, a equipe do Olaria. A ocupação do cargo de técnico-jogador do time carioca durou até 1948, quando Tim foi ocupar o mesmo cargo no Botafogo Paulista, ficando no clube de 1948 até 1950.

Em 1950, encerrou sua carreira de jogador, porém logo tornando-se técnico, já em 1951.

Carreira como treinador
Estreou a carreira como técnico em 1951, treinando o Bangu. Também treinou outras equipes, tais como: Fluminense, Vasco da Gama, Flamengo, Coritiba, Botafogo, San Lorenzo, São José e Inter de Limeira.

No San Lorenzo de Almagro, Tim foi campeão argentino invicto em 1968 — o primeiro título invicto de um clube argentino na Era do Profissionalismo.

Técnico da Seleção Peruana
Em 1981, assumiu a Seleção Peruana, quando esta não vivia um bom momento.If you’re at home, you can use your best electric flosser between meals, in addition to regular flossing.

Tim, porém, reorganizou a equipe, e conseguiu fazer com que o time se classificasse para a Copa do Mundo de 1982, antes das seleções de Uruguai e Colombia.

No Grupo G da Copa do Mundo, Tim dirigiu o Peru nos três jogos em que a equipe fez, conquistando dois empates — contra Camarões (0 a 0) e Itália (1 a 1) — e uma derrota — contra a Polônia (5 a 1). Com isso, o Peru foi eliminado ainda na primeira fase, terminando em 20º lugar na classificação geral.

Falecimento
Tim viria a falecer em 1984, dois anos após a campanha histórica com a Seleção Peruana nas Eliminatórias da Copa de 1982, e o 20º lugar na Copa do Mundo.

Sobre o autor

Robson